Fique por Dentro

PROJETO JEQUITAÍ / NORTE DE MINAS: Congresso Nacional aprova R$ 50 milhões para licitação e retomada das obras

11 de dezembro de 2019

Recurso do PLN 48 foi garantido por solicitação do deputado Gil Pereira junto aos senadores e deputados de Minas

Embora muitos colocassem em dúvida a continuidade das obras do Projeto Jequitaí, antiga reivindicação regional para reforço ao abastecimento de água e convivência com a seca, uma ótima notícia chega para todos os norte-mineiros. O Congresso Nacional aprovou nesta terça-feira (10/12/19) o PLN 48 com recurso de R$ 50 milhões para a retomada da sua implantação.

Momento para mim de grande satisfação, de ver atendidas as minhas solicitações junto aos nossos senadores e deputados, através da emenda de R$ 20 milhões, além de R$ 4 milhões em emenda individual, já na conta da Codevasf, que agora receberá o novo recurso aprovado para licitar e dar continuidade às obras, que iniciamos na gestão do então governador Antonio Anastasia”, declarou o deputado Gil Pereira, ao comemorar a aprovação do PLN 48, em Brasília.

E completou: “Parabenizo e agradeço à bancada federal mineira pela realização desse sonho do Norte de Minas, especialmente ao senador Rodrigo Pacheco, que me acompanhou em audiências, no dia 12/06/19, com o ministro do Desenvolvimento Regional, Gustavo Canuto, e o presidente do Senado, Davi Alcolumbre. Vamos em frente com nossa parceria!”

Significado estratégico

O deputado Gil Pereira, que preside a Comissão das Energias Renováveis e dos Recursos Hídricos da ALMG, ressaltou o significado do projeto, que garantirá, quando estiver totalmente implantado, 35 mil hectares irrigados, possibilitando a criação de 100 mil empregos diretos e indiretos: “Trata-se de empreendimento estratégico para os municípios norte-mineiros, incluindo os aspectos social, econômico e ambiental”.

Somando-se o montante já investindo (R$ 176 milhões), aos R$ 24 milhões disponíveis na conta da Codevasf, que agora receberá mais R$ 50 milhões aprovados pelo Congresso, para licitar e dar continuidade às obras, faltarão R$ 233 milhões para o término dessa etapa do Projeto Jequitaí, cujo custo total orçado é de R$ 483 milhões.

Antiga demanda

O projeto é de responsabilidade da Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), em parceria com o governo estadual. Antiga demanda da população norte-mineira, o convênio para sua implantação foi celebrado em 2011, durante a gestão do deputado Gil Pereira como secretário de Estado da Sedinor, quando também foram iniciadas as obras.

Na última segunda-feira (09/12/19), Gil Pereira reuniu-se com os secretários de Estado de Planejamento e Gestão, Otto Alexandre Levy Reis, e da Agricultura, Ana Maria Soares Valentini, para tratar sobre a prorrogação do contrato entre a Codevasf e o Governo de Minas, com a contrapartida estadual exigida.

Reforço hídrico

Após o término da sua implantação, o Projeto Jequitaí beneficiará, direta e indiretamente, cerca de 700 mil pessoas em uma das regiões mais carentes do Estado, historicamente castigada por longos períodos de seca.

Entre as suas principais finalidades, destacam-se: o abastecimento humano; a agricultura irrigada; a regularização de vazões e o controle de cheias; a piscicultura; o turismo; e o potencial de geração de energia elétrica. A produção agrícola anual estimada é superior a 520 mil toneladas de alimentos (principalmente fruticultura), quando o projeto estiver inteiramente implantado.

O Projeto Jequitaí faz parte do Programa de Revitalização da Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco. Pertencente à bacia, garantirá o lançamento de 34 m³/s de água no rio, volume superior ao que foi necessário à transposição: 26 m³/s.