Fique por Dentro

Nesta sexta-feira (13/11), leilão de energia deverá complementar usina solar fotovoltaica de Pirapora

12 de novembro de 2015

Será realizado nesta sexta-feira (13/11) o 2º Leilão de Energia de Reserva de 2015, da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), destinado à contratação de energia elétrica proveniente de novos empreendimentos de geração a partir de fontes solar fotovoltaica e eólica. O certame deverá complementar projeto da multinacional espanhola Solatio Energia para construção de usina em Pirapora (Norte de Minas), mediante investimentos de R$ 1,5 bilhão.

A parte inicial do empreendimento foi definida no primeiro leilão, promovido em agosto, quando a empresa levou 18% dos negócios do certame. Na ocasião, somente a Solatio arrematou 150 megawatts (MW), ao preço de R$ 300 por MWh (megawatt-hora). Restam agora, outros 150 MW. Entretanto, desta vez, o preço inicial para fonte solar fotovoltaica será de R$ 381,00/MWh, e de R$ 213,00/MWh para eólica. O preço aprovado para as usinas solares representa elevação de 9% em relação à concorrência anterior.

O presidente da Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa (ALMG), deputado Gil Pereira (PP), acompanhará novamente os lances, pois o Estado concorrerá com 61 de usinas fotovoltaicas de potência de 1.974 (MW).

“Os leilões vêm consolidar, de uma vez por todas, a geração de energia fotovoltaica no Brasil. O presidente da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), Maurício Tolmasquim, garantiu que teremos certame anual do tipo. Em 2016 já teremos a primeira planta solar, no município de Vazante (Noroeste de Minas). Em 2017 será a de Pirapora, da Solatio”, explica o parlamentar.

A Solatio concorre ainda nesta sexta-feira (13/11) com projeto em Várzea da Palma (90 MW), ficando o de Francisco Sá (90 MW) para o próximo certame.

Ao todo, a EPE registrou 1.379 projetos para o leilão, distribuídos por 14 estados, que somam potência habilitável superior a 39.917 MW. Serão negociados Contratos de Energia de Reserva (CER) na modalidade por quantidade de energia, com prazo de suprimento de 20 anos. Os leilões de reserva servem para incrementar a garantia física do sistema e, nesse caso, a energia pode ser contratada com qualquer antecedência.

A finalidade do aporte em Pirapora é a geração e injeção de energia elétrica na rede de alta tensão da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig). A área total ocupada pelo empreendimento será de 800 hectares e a implantação deve exigir nove meses, entre aquisição de equipamentos e instalação das estruturas.