Fique por Dentro

Governo Federal habilita 60 leitos de UTI em Montes Claros

12 de junho de 2020

Governo Federal habilita 60 leitos de UTI em Montes Claros

Através da Portaria Nº 1.516, de 9 de junho, o Ministério da Saúde acaba de habilitar 60 leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Adulto Tipo II, para combate à pandemia da Covid-19, nos 5 principais hospitais de Montes Claros, no valor total de R$ 8.640.000,00.

 

Estão sendo contemplados a Santa Casa e os hospitais Universitário (HU), Aroldo Tourinho, Dr. Mário Ribeiro e Dílson Godinho. “Uma ótima notícia para Montes Claros. A iniciativa contribuirá de maneira significativa para superarmos essa crise! Continuamos trabalhando incansavelmente para vencermos juntos o novo coronavírus”, destacou o deputado Gil Pereira.

 

O Ministério da Saúde levou em consideração o caráter emergencial para a habilitação temporária de leitos de UTI, para uso exclusivo de pacientes com Covid-19, pelo período de 90 dias, podendo ser prorrogado.

 

Hospitais

 

O Hospital Universitário Clemente de Faria (HUCF) teve habilitados 20 leitos, com valor de custeio de diária de R$ 960 mil e total de R$ 2,880 milhões, mesma quantidade de leitos e recursos da Santa Casa de Montes Claros. O Ministério da Saúde habilitou, ainda, 8 leitos do Hospital Dílson Godinho, com valor de custeio de diária mensal de R$ 384 mil e valor total de R$ 1.152 milhão; e 6 leitos cada dos hospitais Aroldo Tourinho e Dr. Mário Ribeiro, com valor de custeio de diária mensal de R$ 288 mil e valor total de R$ 864 mil, cada unidade de saúde.

 

A superintendente Regional de Saúde de Montes Claros, Dhyeime Thauanne Pereira Marques, ressalta que o credenciamento dos leitos de UTI era uma medida que há muito estava sendo aguardada pelos gestores de saúde e pelas lideranças da região, diante do avanço da transmissão do coronavírus para o interior do país. “A habilitação dos leitos permite maior tranquilidade aos gestores quanto à garantia do atendimento aos pacientes que vierem a contrair a Covid-19 e, caso evoluam para situação de saúde mais grave, terão leitos disponíveis para tratamento de alta complexidade”, frisou a superintendente.