Fique por Dentro

GERAÇÃO DISTRIBUÍDA | FORTALEZA: Minas Gerais prossegue na liderança e como referência em energia solar

31 de outubro de 2018

GERAÇÃO DISTRIBUÍDA | FORTALEZA: Minas Gerais prossegue na liderança e como referência em energia solar

O 3º Congresso Brasileiro de Geração Distribuída (CBGD) realizado nos dias 24 e 25 de outubro de 2018, em Fortaleza (CE), reafirmou a liderança mantida por Minas em energia solar. Especialistas e os maiores investidores, referentes a cerca de 70% do PIB brasileiro relacionado a este mercado, analisaram os números para chegar a tal conclusão. Segundo dados atualizados pela ABSolar, o Estado possui 7.731 conexões de sistemas fotovoltaicos de micro e minigeração (residências e empresas), correspondentes a 19,3% do total, à frente de São Paulo (7.535) e Rio Grande do Sul (4.906). Em termos da potência instalada a vantagem chega a 23,8%: cerca de 95,8 MW.

A comparação despertou ainda mais atenção entre os participantes de outros estados, interessados em conhecer a legislação mineira de estímulo ao setor, implantada desde 2013, através da atuação do deputado Gil Pereira. “Graças ao nosso trabalho para aprovação da Lei nº 22.549 e Decreto nº 47.231, por exemplo, foram investidos no Norte de Minas, desde maio, mais de meio bilhão de reais em usinas até 5 MW. Para 2019, a previsão já supera 1 bilhão de reais”, citou o parlamentar, que foi secretário de Estado e presidiu a Comissão de Minas e Energia da ALMG (2015/2016).

Banco do Nordeste

O deputado Gil Pereira reuniu-se também na sede do Banco do Nordeste, com o presidente da instituição, Romildo Carneiro Rolim, e seu chefe de Gabinete, José Andrade Costa. “O objetivo foi agradecer os financiamentos já concretizados para usinas solares de até 5 MW no Norte de Minas, além solicitar a celeridade da aprovação dos novos projetos apresentados pelos investidores”, destacou o deputado Gil Pereira.

São os seguintes os projetos implementados e em desenvolvimento nesta faixa de potência ou superior, conforme os municípios: Bocaiuva, Brasília de Minas, Buritizeiro, Capitão Enéas, Francisco Sá, Itacarambi, Jaíba, Janaúba, Januária, Manga, Mirabela, Montes Claros, Pirapora, São Francisco, Várzea da Palma e Verdelândia. Em outros 10 municípios prosseguem as negociações, com investimento médio previsto de 25 milhões de reais em cada planta.