Fique por Dentro

Fiemg entra na parceria para qualificar profissionais voltados ao setor fotovoltaico mineiro

5 de novembro de 2015

“Federação das Indústrias do Estado e entidades relacionadas desempenharão papel estratégico na formação da mão de obra necessária à cadeia produtiva da energia solar”, ressalta Gil Pereira.

A Federação das Indústrias do Estado de Minas Gerais (Fiemg) e o Sistema S, que inclui o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), estão dispostos a oferecer treinamento para formação de mão de obra técnica destinada à produção de energia solar fotovoltaica. A declaração foi dada pelo presidente da entidade, Olavo Machado Júnior, aos parlamentares da Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa, durante visita realizada nesta quarta-feira (04/11/15) por requerimento do deputado Gil Pereira (PP), que preside a Comissão.

O parlamentar destacou a importância desse tipo de energia, limpa e renovável, apontando que os empreendimentos no setor vêm crescendo no Estado e no País, como alternativa de diversificação da matriz em momento de crise energética, resultante entre outros fatores da escassez hídrica.

“Além da geração centralizada de energia que se refere às usinas solares fotovoltaicas, também está crescendo o uso da denominada geração distribuída, por meio de placas fotovoltaicas nos telhados de casas e prédios residenciais. E não há pessoal qualificado suficiente para atuar nesse ramo. A Fiemg, por meio das entidades parceiras e sua capilaridade no Estado, terá papel fundamental na profissionalização da mão de obra necessária ao mercado”, considerou Gil Pereira.

 Meta

Com o aumento das contas de luz no País, os usuários a cada dia começam a se interessar pela troca da energia tradicional pelas chamadas energias limpas, ou seja, de fontes renováveis e não poluentes. A Conta de energia elétrica tornou-se peso no orçamento das famílias e das empresas. Só em 2015, já ficou 50% mais cara. E isso acabou incentivando consumidores a produzir a própria energia, cujo excedente pode ser vendido às concessionárias, para seu uso oportuno sob a forma de compensação.

“O número de microusinas de energia no País quase triplicou em 2015. Em outubro de 2015, 1.125 casas e estabelecimentos no Brasil tinham micro ou miniusinas de energia solar ou eólica. Em dezembro de 2014, eram somente 422. Nossa meta é alcançar o patamar da Alemanha, que tem atualmente mais de 1 milhão de telhados com painéis fotovoltaicos. A irradiação solar média no Brasil é o dobro da verificada naquela nação europeia”, argumentou Gil Pereira.

Norte de Minas

O deputado Gil Pereira falou sobre a vocação do Norte de Minas para a geração de energia solar fotovoltaica: a região detém o 4º melhor ponto solar do País. Citou, em particular, a implantação, em Pirapora, de usina fotovoltaica pela empresa espanhola Solatio Energia, vencedora do leilão de fonte fotovoltaica realizado no último dia 28 de agosto pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

O parlamentar explicou que quando estiver em funcionamento (2017) a produção total da usina poderá alcançar mais de 300 megawatts (MW). Inicialmente, foram contratados 150 megawatts, com investimentos de R$ 750 milhões. O segundo leilão de 2015 está marcado para o próximo dia 13 de novembro. O investimento total deverá então chegar a R$ 1,5 bilhão.

“Cada megawatt gerado corresponde a 20 empregos diretos”, disse o deputado Gil Pereira, citando dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar). “Pirapora passará a ter a maior planta da América Latina e a terceira maior do mundo nesse tipo de energia”, disse.

A esses dados soma-se ainda a produção de usinas projetadas pela multinacional espanhola nos municípios de Francisco Sá e Várzea de Palma, também no Norte de Minas, em torno de 90 megawatts cada. O investimento em relação a esses empreendimentos também será definido no referido leilão.

Potencial

O Gil Pereira participou, no último dia 21/10/2015, do Seminário Brasileiro de Energias Renováveis, realizado no Centro de Convenções de Pernambuco, em Olinda (PE), ocasião em que falou sobre o potencial brasileiro e mineiro para o setor, mas também observou a necessidade de o Estado avançar no que se refere à formação de profissionais na área.

“Além do polo da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), em Montes Claros, temos a Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes). Vamos propor às instituições de ensino superior a criação de cursos para formação de profissionais no setor de energia, especialmente energias renováveis”, disse o parlamentar na ocasião.

 

Visita - Comissão de Minas e Energia

Vice-pres. da Com., dep. Bosco (PTdoB); pres. da Com. de Minas e Energia, dep. Gil Pereira (PP); pres. da SME, Augusto Drummond; pres. da Fiemg, Olavo Machado; dep. Dilzon Melo (PTB); e dep. Felipe Attiê (PP) | Foto: Raíla Melo