Fique por Dentro

Dep. Gil Pereira cobra investimentos na rede da Cemig e celeridade nas conexões de energia solar

1 de dezembro de 2020

Dep. Gil Pereira cobra investimentos na rede da Cemig e celeridade nas conexões de energia solar

ASSEMBLEIA FISCALIZA / DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO

Solicitação ao secretário-adjunto Fernando Passalio (SEDE/MG) tem o objetivo de viabilizar a continuidade do excelente ciclo econômico do setor no Norte de Minas

Em reunião conjunta do Assembleia Fiscaliza, nesta segunda-feira (30/11/20), os parlamentares sabatinaram o secretário-adjunto de Desenvolvimento Econômico, Fernando Passalio, que fez apresentação das ações da pasta e foi cobrado acerca de maior apoio a investimentos em fontes de energia limpa. Também foi questionado a respeito do papel da Cemig no desenvolvimento do Estado, com ponderações sobre a privatização da estatal, como pretende o governo, no último dia dessas reuniões.

Além da Comissão de Minas e Energia, participaram as de Assuntos Municipais e regionalização, de Educação, Ciência e Tecnologia, de Desenvolvimento Econômico e, ainda, a Comissão das Energias Renováveis e dos Recursos Hídricos, presidida pelo deputado Gil Pereira.

Minas lidera em geração solar distribuída no país, aumentando 97,8% sua capacidade desde janeiro (790,7 MW), com aportes de R$ 3,89 bilhões, graças à minha Lei de isenção do ICMS até 5 MW. Na geração centralizada (grandes usinas), também saímos na frente e temos mais de R$ 20 bilhões já aprovados”, informou Gil Pereira.

Para completar: “Porém, a Cemig não tem dado vazão à demanda por conexões à sua rede, provocando atrasos de projetos e prejuízos, especialmente no Norte de Minas. Por isso, solicitei ao secretário-adjunto Fernando Passalio (SEDE-MG), além de celeridade, ampliação dos investimentos, inclusive via Parcerias Público-Privadas (PPPs), na transmissão e distribuição de energia, para que esse ciclo econômico continue: mais empregos, renda e preservação do meio ambiente”, declarou Gil Pereira.

Prejuízo

O Norte de Minas, advertiu ele, vem sendo prejudicado mais uma vez, com dezenas de plantas fotovoltaicas paradas, algumas há vários meses. “Como sabemos, a privatização da Cemig, pretendida pelo governo estadual, é um processo demorado. Então, que se pense em um modelo de gestão alternativo, ou numa parceria público privada (PPP). Muitas empresas querem investir no Estado”, argumentou Gil Pereira.

O parlamentar citou, por outro lado, exemplos de outros tipos de empresas que também enfrentam problemas de ligação à rede e fornecimento de energia elétrica para suas atividades, no Norte de Minas: “Em Bocaiuva, a empresa Saga já gera 500 empregos diretos e deverá abrir mais 200 vagas, mas aguarda a energia necessária. Em Januária, há seis meses uma indústria têxtil está pronta, mas também espera pela ligação à rede elétrica”, explicou o parlamentar.

Ao enaltecer o trabalho do deputado Gil Pereira com a energia solar fotovoltaica e outras fontes renováveis, o secretário Fernando Passalio respondeu aos questionamentos, argumentando que o Estado, como acionista majoritário da Cemig, não possui recursos para investir na ampliação da empresa: “O caminho para isso acontecer é uma privatização bem-feita. Cerca de R$ 21 bilhões seriam necessários para cobertura de todo o Estado em termos de disponibilidade de energia. Entretanto, temos apenas R$ 6 bilhões neste ciclo tarifário”, afirmou o secretário de Estado.