Fique por Dentro

Avança o projeto para usina solar em Pirapora: investimento de R$ 1,5 bilhão

7 de maio de 2015

Avança o projeto para usina solar em Pirapora: investimento de R$ 1,5 bilhão

A Solatio Energia, multinacional espanhola que desenvolve projetos de energia solar, planeja fazer investimentos significativos no Estado nos próximos anos, com a implantação de usinas fotovoltaicas. A empresa participará do próximo leilão específico do governo federal a ser realizado em agosto e já tem 16 projetos inscritos na Superintendência Regional de Meio Ambiente (Supram) no Norte de Minas.

Entre os principais projetos, já é realidade a construção de usina em Pirapora, orçada em R$ 1,5 bilhão. “Encontrei-me com representantes da empresa, que estão animados com as perspectivas de investimentos em energia solar no Estado”, informou o deputado Gil Pereira, presidente da Comissão de Minas e Energia da ALMG.

Maior vencedora no leilão de energia solar reserva de 2014, a Solatio arrematou 40% dos projetos viabilizados. A empresa confirma que tem intenção de conquistar entre 30% e 40% do mercado solar fotovoltaico no País, por meio de leilões e venda de energia no mercado livre. Em Minas Gerais, tem como parceira e fornecedora de painéis solares a canadense Canadian Solar. “Os canadenses possuem participação acionária nos projetos da Solatio no Estado e fornecerão painéis fotovoltaicos para as usinas. Trabalhamos para que a Canadian instale fábrica no Brasil, de preferência no Norte do Estado”, disse ele.

Ponto de partida
Ponto de partida para a usina solar em Pirapora, em 2013, o deputado Gil Pereira, então secretário de Estado de Desenvolvimento e Integração do Norte e Nordeste de Minas Gerais (Sedinor), esteve em Madri (capital da Espanha), onde reuniu-se com diversas empresas e instituições, tanto públicas quanto privadas, apresentando oportunidades de negócios e investimentos no Norte de Minas.

A região Norte do Estado detém o quarto melhor ponto de energia solar do País, justificando o seu potencial para receber investimentos de infraestrutura de geração no setor, segundo Atlas Solarimétrico da Cemig. O estudo, ao lado do Atlas Eólico, aponta índices de radiação solar e circulação atmosférica bem acima da média, adequados a grandes investimentos em parques mistos de energia limpa, bem próximos de linhas de transmissão elétrica e centros de consumo.