Fique por Dentro

ANEEL: Brasil registra 4.517 conexões de geração distribuída (GD) até julho de 2016

22 de setembro de 2016

ANEEL: Brasil registra 4.517 conexões de geração distribuída (GD) até julho de 2016

Até julho deste ano, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) registrou 4.517 conexões de geração distribuída (GD) – modalidade em que a energia elétrica é gerada nos centros de consumo, muitas vezes pelo próprio consumidor. É compreendida por sistemas (micro e miniusinas de painéis fotovoltaicos) instalados em telhados e áreas de casas, prédios residenciais, condomínios, empresas urbanas e rurais, além de cooperativas. A fonte solar fotovoltaica corresponde a 98% das conexões em GD, totalizando 4.432 unidades.

Somente de janeiro a julho de 2016, foram realizadas 1.821 novas conexões. Com as novas instalações, o país apresenta 44.607 KW de potência instalada em geração distribuída, sendo que 73% da geração distribuída é originária da fonte fotovoltaica (KW), e 78% das conexões residenciais (3.523). Veja outras informações relacionadas no infográfico abaixo. Por estado, Minas Gerais reúne o maior número de geradores distribuídos (973). Mais detalhes no link: https://goo.gl/bqEXob

“A análise dos números confirma a tendência de rápida expansão nessa área, especialmente após os aprimoramentos introduzidos pela Aneel em 2015 na RN 482/2012”, observa o deputado Gil Pereira (PP), presidente da Comissão de Minas e Energia da ALMG.

A Empresa de Pesquisa Energética (EPE) estima que a capacidade instalada em GD atinja 33 GWp no segmento residencial até 2050 e 29 GWp no comercial. Total em torno de 78 GWp, somando-se os segmentos industrial (13 GWp) e público (3 GWp).

ProGD

Para ampliar e aprofundar as ações de estímulo à geração de energia pelos próprios consumidores, o Ministério de Minas e Energia (MME) lançou, em dezembro de 2015, o Programa de Desenvolvimento da Geração Distribuída de Energia Elétrica (ProGD). Com R$ 100 bilhões em investimentos do ProGD, a previsão é que ate 2030, 2,7 milhões de unidades consumidoras poderão ter energia gerada por elas mesmas.

Em consonância ao ProGD, o Banco do Nordeste lançou uma linha de crédito que ampliará ações de estímulo à geração distribuída. O financiamento utiliza recursos do Fundo Constitucional de Financiamento do Nordeste (FNE) e tem prazo de pagamento de até 12 anos, com um ano de carência. O crédito do Banco do Nordeste é destinado a empresas agroindustriais, industriais, comerciais e de prestação de serviços, além de produtores rurais, cooperativas e associações beneficiadas ou não com recursos do FNE.

Compensação

O Sistema de Compensação de Energia Elétrica, que permite ao consumidor instalar micro ou minigeração distribuída em sua casa, comércio ou indústria, é regulamentado pela Aneel. Ao gerar energia a partir de qualquer fonte renovável (por meio de painéis solares ou pequenas turbinas eólicas, por exemplo) ou cogeração qualificada, o consumidor alia economia financeira e consciência socioambiental. Além disso, quando se gera mais do que se consome, a energia é fornecida para a distribuidora, gerando créditos que podem ser consumidos em até 60 meses. Saiba mais sobre o sistema no endereço: https://goo.gl/1EMtW4