Fique por Dentro

Ferroligas: Minas quer isonomia do custo da energia elétrica com Nordeste

28 de agosto de 2015

A medida provisória 677/15, editada pelo governo federal, garante energia elétrica a menor custo para o setor de ferroligas e silício metálico (indústrias eletrointensivas). Entretanto, a MP vale somente para as empresas do Nordeste do Brasil.

As indústrias de ferroligas e silício metálico produzem insumos para diversos setores, incluindo metalurgia, siderurgia e eletrônica. Os contratos de fornecimento de energia elétrica para as empresas instaladas em Minas terminaram no dia 31/12/2014.

Representantes da Associação Brasileira dos Produtores de Ferroligas e de Silício Metálico (Abrafe) foram recebidos por comissão suprapartidária de parlamentares e pelo presidente da ALMG, deputado Adalclever Lopes (PMDB).

“É fundamental garantirmos ao Estado as mesmas condições de mercado em termos do preço da energia fornecida às empresas nordestinas. Questão básica de competitividade. A energia elétrica representa 40% do custo de produção dessas empresas, com plantas já paralisadas e atingidas por onda de desemprego, incluindo aquelas situadas em Pirapora e outros importantes municípios do Norte de Minas”, advertiu o deputado Gil Pereira, presidente da Comissão de Minas e Energia.

O setor exporta R$ 3,7 bilhões por ano, sendo responsável pela geração de 50 mil postos de trabalho em Minas. Deputados da base e da oposição entregarão carta ao governador do Estado, solicitando sua intermediação junto ao governo federal. Também participaram da reunião os diretores da Abrafe, Geraldo Eliazar e Felipe Zica, e os deputados Glaycon Franco (PTN), Antônio Carlos Arantes (PSDB), Isauro Calais (PMN) e Gustavo Corrêa (DEM).