Fique por Dentro

DEBATE | ENERGIA ELÉTRICA: No foco da ALMG, o potencial das fontes renováveis e seus aspectos de mercado no Estado

31 de março de 2016

A Comissão de Minas e Energia da Assembleia Legislativa (ALMG) realizará no dia 04/05/16, de 9h às 18h, no Teatro, o debate público “Energia de Fontes Renováveis. O novo ciclo do ouro em Minas Gerais”, conforme requerimento do presidente da comissão, deputado Gil Pereira (PP).

O objetivo é debater o potencial de produção de energia elétrica em Minas a partir de fontes renováveis de origem solar fotovoltaica, eólica, cogeração e hidrelétricas de pequeno porte (PCHs), identificando oportunidades de mercado e entraves para o seu aproveitamento.

O encontro é aberto ao público e gratuito, a partir de inscrição devido ao número restrito de vagas. Além de entidades privadas relacionadas ao setor, participarão instituições públicas de regulação ambiental e tributária, fomento e financiamento.

Novo ciclo econômico

“Traçando paralelo histórico, o aproveitamento das fontes renováveis para geração de energia elétrica já é realidade e provocará novo ciclo de desenvolvimento econômico em Minas Gerais”, prevê o deputado Gil Pereira.

O caráter complementar entre essas diferentes fontes constitui aspecto interessante e estratégico. “A intensidade do vento, por exemplo, é maior durante a noite, enquanto a energia solar atinge seu ápice ao longo do dia. Ambas podem ser aproveitadas de modo a economizar água das represas das hidrelétricas, o que é fundamental diante da grave irregularidade do regime de chuvas verificada nos últimos anos”, argumenta o parlamentar.

Solar fotovoltaica: geração centralizada e distribuída

O Norte do Estado detém o 4º melhor ponto solar do País, havendo destaque também para o potencial do Triângulo Mineiro, conforme o Atlas Solarimétrico da Cemig.

“A Usina Solar de Pirapora, no Norte de Minas, atingirá 240 MW de capacidade após a multinacional espanhola Solatio/Canadian arrematar 90 MW adicionais no 2º Leilão de Energia de Reserva de 2015. O investimento supera R$ 1,3 bilhão. Portanto, nos próximos dois anos estará em operação a maior planta de energia solar da América Latina (geração centralizada)”, citou o parlamentar.

As adesões ao modelo de geração distribuída têm crescido expressivamente desde as primeiras instalações, em 2012. “Entre 2014 e 2016 os registros quadruplicaram, passando de 424 conexões para 1.930 conexões, cabendo a Minas a liderança: 373 conexões”, destaca o deputado Gil Pereira.

Com a revisão da norma (Resolução Normativa nº 482/2012), que simplifica procedimentos de registro, entre outras alterações, a estimativa é que até 2024 mais 1,2 milhão de consumidores passem a produzir sua própria energia, o equivalente a 4,5 gigawatts (GW) de potência instalada. Para 2016, o crescimento pode ser de até 800%, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Programação

Abertura – 9h

Panorama das fontes de energias renováveis – 9h15 às 12h

– Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar)

Rodrigo Lopes Sauaia – Presidente Executivo

– Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica)

Elbia Silva Gannoum – Presidente Executiva

– Associação Brasileira de Fomento às Pequenas Centrais Hidroelétricas (AbraPCH)

Plínio Pereira – Conselheiro

– Associação das Indústrias Sucroenergéticas de Minas Gerais, Sindicato da Indústria de Fabricação de Álcool no Estado de Minas Gerais e Sindicato da Indústria do Açúcar no Estado de Minas Gerais (Siamig)

Mário Campos – Presidente

Almoço – 12h

Painel I

Financiamento e política tributária – 14h

BDMG – Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais

BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

BNB – Banco do Nordeste

CODEMIG – Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais

SEF – Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais

Painel II

Regulação e meio ambiente – 15h30

ANEEL – Agência Nacional de Energia Elétrica

CEMIG – Companhia Energética de Minas Gerais / Eficienttia S.A.

EPE – Empresa de Pesquisa Energética

IBAMA – Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis

SEDE – Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico

SEMAD – Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável

SEF – Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais

Debate – 17h

Encerramento – 18h